Pesquisar neste blog

Carregando...
Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo

Doenças causadas por vírus (REFORMULADO)


Doenças Causadas por Vírus

Aids
A síndrome da imunodeficiência adquirida é causada pelo vírus HIV ou vírus da imunodeficiência humana, que ataca células do sistema imunológico, responsável pelo reconhecimento e combate dos agentes estranhos (bactérias, vírus, etc.) que invadem o organismo. A principal célula atacada é o linfócito T4.

Devido a deficiência do sistema imunológico, os aidéticos, estão sujeitos a infecções por germes chamados oportunistas, que não causam problemas à pessoas com saúde normal. Além disso, são mais propensos a desenvolver alguns tipos raros de câncer como o sarcoma de Kaposi. Essas infecções terminam por debilitar a saúde do paciente e até mesmo levá-lo a morte.

Ainda não há cura ou vacina para a AIDS. Nem todas as pessoas que contraem o vírus HIV, desenvolvem a doença, ela pode aparecer de forma assintomática. Contudo, o portador assintomático pode transmitir a doença para outras pessoas através do contato por sangue, sêmen ou secreções vaginais. Isso ocorre pelo ato sexual, pela recepção de sangue contaminado, pelo uso de seringas ou agulhas contaminadas, de mãe para filho durante a vida uterina ou na hora do parto, ou ainda por transplante de órgãos.

Para evitar o contágio, deve se usar a camisinha, não utilizar seringas ou agulhas não esterilizadas e, se precisar de sangue ou fatores do plasma, certifique-se que procede de bancos de sangue que fazem o teste da AIDS. O grupo de risco inclui: homossexuais, bissexuais, usuários de drogas injetáveis e pessoas que necessitam de transfusões de sangue ou fatores do plasma, como os hemofílicos.
Catapora

A catapora é uma doença infecciosa e contagiosa que tem como causa o vírus varicela-zoster. Antes do surgimento da vacina, era uma das doenças mais comuns da infância.
Uma vez adquirido o vírus, o indivíduo fica imune por toda a vida. No entanto ele permanece no organismo e, futuramente, pode ocasionar a herpes-zoster, conhecida como cobreiro.
Sintomas
O paciente te febre, mal-estar e dor de cabeça, falta de apetite e sensação de cansaço. Entre 24 e 48 horas depois, surgem na pele manchas avermelhadas. As quais dão lugar a pequenas bolhas ou vesículas com líquido que mais tarde formarão crosta, provocando coceira. O contato com a saliva, secreções respiratórias do paciente ou com o líquido das vesículas faz com que o vírus se propague. O qual fica incubado por 15 dias.
Tratamento
O tratamento visa apenas amenizar os sintomas, é muito importante que a pessoa não arranque a casa e nem cose as feridas, é indicado que o paciente tome banho com permanganato de potássio para que as feridas sequem mais rápido.

Caxumba

A caxumba é um processo infeccioso caracterizado pela inflamação das glândulas salivares (parótidas). A infecção é ocasionada pelo vírus da caxumba. É uma doença de transmissão respiratória, sendo mais comum em crianças.

A transmissão ocorre quando há contato com as gotículas de saliva da pessoa infectada.
Os sintomas aparecem entre 12 e 25 dias após a contaminação.

Os sintomas são: inchaço e dor nas glândulas, dor de cabeça, dores musculares, fraqueza, febre, calafrios e dor ao engolir.

Em homens pode ocorrer inflamação nos testículos e nas mulheres inflamação nos ovários. Pode acometer também o sistema nervoso central, em alguns casos.

Diante de qualquer suspeita de caxumba, a pessoa deve procurar um médico para confirmar o diagnóstico.

Como não existe tratamento específico, esse consiste na utilização de antitérmicos, analgésicos, repouso, alimentação líquida ou pastosa e compressas quentes para aliviar a dor.

Conjuntivite

Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva ocular, a membrana que reveste todo o globo ocular. Essa doença pode ter duas causas de contaminação: alérgica ou viral. A conjuntivite alérgica é proveniente de produtos químicos, poluição do ar, etc., e não é contagiosa. A conjuntivite viral é proveniente de vírus levados aos olhos através das mãos, toalhas e outros objetos contaminados, esse tipo é altamente contagioso.
Os principais sintomas da conjuntivite são olhos vermelhos e irritados, inchaço da pálpebra, sensação de areia ou cisco nos olhos e às vezes, dores locais. O tratamento da conjuntivite baseia-se em lavar os olhos e fazer compressas, com água gelada que deve ser filtrada e fervida, ou com soro fisiológico.
A prevenção da doença se dá pelos hábitos de higiene na região dos olhos: lavar as mãos frequentemente, não coçar os olhos e evitar a ida freqüente a clubes e piscinas públicas. A doença pode durar de uma semana a quinze dias e não costuma deixar seqüelas.

Dengue

A dengue é uma doença viral transmitida através da picada dos mosquitos Aedes Aegypti e Aedes Albopictus. São quatro tipos de vírus transmissores que desenvolvem dois tipos da doença: a dengue clássica e a dengue hemorrágica.
Os mosquitos são escuros com algumas manchas brancas e são menores que o pernilongo. Possuem hábitos diurnos e são encontrados principalmente em áreas tropicais e subtropicais. O período mais propenso a epidemias é no verão durante ou após o período chuvoso.
Sintomas
Os sintomas da dengue são:
Dor de cabeça, nos olhos, músculos e juntas
Febre alta
Falta de apetite
Sangramento na gengiva e nariz
Manchas avermelhadas pelo corpo
Fraqueza
Vômito
Prurido
No caso de dengue hemorrágica pode ocorrer também:
Dor no fígado
Tonteiras
Desmaios
Pele e suor frios
Fezes escuras
A doença
Nos primeiros dias começam a aparecer alguns sintomas acima descritos que tendem a melhorar a partir do quinto dia. Após a doença, o organismo se torna imune ao vírus que lhe causou a doença, porém pode contraí-la novamente se outro tipo de vírus lhe for transmitido, permitindo assim que a pessoa tenha a doença quatro vezes.
Prevenção
Para evitar a doença é necessário que o mosquito não se reproduza. A reprodução é feita através da deposição de seus ovos em água parada e independe se está limpa ou não. A eliminação da água parada ocorre através de cuidados como substituir pratos com água em plantas por pratos com areia, retirar objetos que acumulam água de locais abertos, tampar caixa d’água, filtros e cisternas, limpar as calhas para que não ocorra a prisão de água e outras.
Tratamento
Ao detectar os primeiros sintomas é importante procurar um posto de saúde para que um profissional realize exames de confirmação da doença. Quando detectada, deve-se manter cuidados como repousar, ingerir bastante líquido, utilizar apenas medicamentos prescritos pelo médico, alimentar-se normalmente e realizar diariamente exames para contagem de plaquetas.

Faringite
A faringite é uma inflamação da garganta, na área situada entre as amígdalas e a laringe, onde se forma a voz (faringe). Em geral é conhecida como dor de garganta ou garganta arranhada. A faringite aguda pode ser causada por vírus ou bactérias. O contágio é por meio de secreções eliminadas pelas pessoas ao falar, tossir ou espirrar. A faringite crônica decorre de uma infecção respiratória sinusal ou da boca que se espalha para a faringe.

Alguns fatores como o cigarro, a poluição do ar e o excesso de álcool arranham a mucosa da garganta, causando a faringite. Os sintomas da faringite são: garganta avermelhada, pus na garganta, dor de ouvido, dificuldade para engolir, respiração difícil, mal-estar e febre.

O tratamento da faringite consiste na utilização de analgésicos, antitérmicos e antibióticos, que deverão ser prescritos por um médico.

A faringite pode evoluir para infecções mais graves, como a meningite.

Febre Amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa causada por um flavivírus que é transmitido através do mosquito da dengue, o Aedes aegypti. A doença não é contagiosa, ou seja, não é transmitida de uma pessoa doente para uma sadia, a não ser que um mosquito pique o doente e após a picada leve o vírus à pessoa sadia picando-a.

Após a transmissão do vírus ocorre o chamado período de incubação que dura aproximadamente sete dias sem a manifestação de nenhum sintoma. Após tal período, o indivíduo inicia um processo sintomático apresentando: febre alta, mal-estar, cansaço, hemorragias, vômitos, dor de cabeça, problemas no fígado e rins, dor muscular, calafrios, diarréia, icterícia e problemas cardíacos em casos mais graves.

Para detectar a doença, é necessária a realização de exames em laboratório já que seus sintomas são semelhantes à de outras doenças. Felizmente existe a vacina contra a febre amarela que é tomada aos nove meses de idade e tem validade de dez anos, data em que se deve tomar o reforço. É importante tomar o reforço caso não tenha lembrança da última vacinação e ainda se houver deslocamento para áreas de maior risco de transmissão.

O tratamento para a doença consiste apenas em hidratar o organismo, amenizar a febre e ainda realizar transfusões sanguíneas e hemodiálise quando o indivíduo apresentar comprometimento dos rins e do fígado. É extremamente importante não ingerir medicamentos que apresentem ácido acetilsalicílico em sua composição, pois esse acentua a atividade antiplaquetária provocando maior chance de hemorragias.
Gripe
A gripe é uma infecção ocasionada pelo vírus Influenza, essa é dividida em três tipos: A B e C. A do tipo A infecta humanos e animais, já os tipos B e C infectam somente os humanos.

Altamente contagiosa, a gripe ocorre com maior freqüência no final do outono, inverno e início da primavera, afetando milhões de pessoas a cada ano.

O vírus Influenza é disseminado pelo ar. Quando a pessoa gripada espirra, tosse ou fala, gotículas com o vírus dispersam-se no ar por tempo suficiente para contaminar outra pessoa. Um fator que facilita a transmissão é a aglomeração de pessoas em ambientes fechados.

O período de incubação é de um a dois dias. Os sintomas são: febre, tosse, dores musculares, mal estar, dor de cabeça, tosse seca. Pode ocorrer também conjuntivite, prostração e anorexia.

A gripe, muitas vezes, é confundida com o resfriado por possuir sintomas semelhantes a esse, mas em caso de resfriado os sintomas são mais amenos e iniciam-se gradualmente.

Qualquer pessoa está propensa a gripe, porém idosos, pessoas com doenças respiratórias crônicas e baixa imunidade podem apresentar infecções mais graves, com possibilidade de infecções fatais.

Quando não há complicações, a gripe dura de 3 a 5 cinco dias, e a maioria dos doentes recuperam-se ao final de uma semana. Recomenda-se descansar, tomar muito líquido, alimentar bem, evitar mudanças de temperatura, não tomar medicamento sem orientação do médico.

O principal método de prevenção da gripe é a vacinação, evitando seu aparecimento em até 75% das situações e, em 98% dos casos, diminui a gravidade da doença. Procure também evitar o contato com pessoas infectadas.
Hepatite
A hepatite é uma doença caracterizada por uma inflamação do fígado.
As causas são infecções por vírus, abuso de álcool e de alguns medicamentos, drogas, doenças hereditárias e auto-imunes.
A hepatite pode ser classificada em aguda e crônica.
Compreende-se por hepatite crônica a inflamação do fígado por um período superior a seis meses.
As hepatites virais agudas são: hepatite A, hepatite B, hepatite C, hepatite D, hepatite E, hepatite F, essas são as mais comuns.
Na maior parte das vezes, a doença apresenta poucos sintomas e em alguns casos só é diagnosticada em exames de rotina. Os casos que levam à morte são poucos.
Em casos de hepatite viral ocorre um tempo inicial sem sintomas, que é o período de incubação, momento em que o vírus está se multiplicando no organismo. Este tempo varia e logo após começa a surgir os sintomas. Os sintomas iniciais são semelhantes ao da gripe, como febre, náuseas, vômitos, mal-estar, dores no corpo, falta de apetite e desânimo.
A icterícia (amarelão, “tiriça”) é o sintoma mais típico da hepatite, caracteriza-se por coloração amarelada da pele, dos olhos e das mucosas, entretanto não são todos os pacientes que apresentam esse sintoma.
Em casos mais graves, o paciente pode apresentar confusão mental e outros sintomas, o que caracteriza a hepatite fulminante, a hepatite C não apresenta fase aguda.
O diagnóstico geralmente é confirmado por exames laboratoriais, pois através deles é possível investigar se há lesão do fígado, o tipo do vírus que causa a inflamação e se existe doença auto-imune. A biópsia hepática também pode ser solicitada pelo médico e consiste na retirada de um pedaço do fígado, através de uma agulha introduzida na pele.

Herpes

Infecção causada pelo vírus herpes humano (HSV 1 e 2) que se caracteriza pelo aparecimento de pequenas bolhas juntas nos lábios ou genitais, mas pode aparecer em qualquer lábios ou genitais, mas pode aparecer em qualquer parte do corpo. É transmitida pelo contato direto com as lesões e pode permanecer latente no organismo, e pode permanecer recidivas.
Os efeitos
É precedida por sintomas locais, como coceira, ardor e formigamento, que desaparecem em uma semana. A erupção das lesões são de pequenas bolhas cheias de líquido amarelado, que formam crostas quando se rompem. A primeira infecção costuma ser mais grave e restabelecimento completo, mais demorado. Nas recidivas, os sintomas são os mesmos, mas menos intensos.
Tratamento
As vacinas estão sendo testadas para tratamento e prevenir o herpes simples, mas nenhuma se mostrou totalmente eficaz. O tratamento é feito com antivirais que diminuem o período de evolução da crise e os sintomas. Caso houver alguma suspeita de herpes, procure um médico.
Poliomielite

Embora na maioria das pessoas essa virose cause apenas febre, mal estar, em alguns indivíduos, ela pode atacar o sistema nervoso, provocando paralisia. Uma vez instalada a doença, não há um procedimento específico para curá-la , sendo feito apenas um tratamento fisioterápico nos casos em que ocorre a paralisia, visando melhorar a condição muscular. Assim sendo, para evitar tal doença, é muito importante que os pais vacinem os seus filhos na época recomendada pelo médico.
Raiva ou Hidrofilia
Essa doença, quase sempre fatal, ataca o sistema nervoso. É transmitida por animais domésticos, principalmente o cão, sendo por isso obrigatória a vacinação eo recolhimento dos animais soltos na rua. Quando uma pessoa é mordida por qualquer animal, deve lavar várias vezes o local da ferida com água e sabão e aplicar um desinfetante. Se houver suspeita que o animal está raivoso, procurar urgentemente o hospital mais próximo o soro e vacina anti-rábicos. Deve-se também exigir que o proprietário apresente o atestado de vacinação do animal.
Rubéola
Rubéola é uma doença causada por um vírus do gênero Rubivirus, que afeta crianças e adultos. Está entre as chamadas doenças da infância, um dos cinco exantemas (doenças com marcas vermelhas na pele).

A transmissão se dá pela inalação de gotículas de secreção nasal de pessoas contaminadas ou por via sanguínea, no caso do feto.

O vírus multiplica-se na faringe e nos órgãos linfáticos, em seguida é disseminado para pele através do sangue. O período de incubação é de duas a três semanas.

O risco de contágio é maior durante o período de exantema cutâneo. A rubéola ocorre apenas uma vez na vida. A infecção pelo vírus durante o primeiro trimestre gestacional poderá resultar em aborto, morte fetal, parto prematuro e malformações congênitas.

Os primeiros sintomas são: febre, dores de cabeça, dores musculares e nas articulações, prostração e corrimento nasal. Essas manifestações aparecem 18 dias após a infecção e podem ser confundidas com as de uma gripe. Outros sintomas são o aumento dos gânglios linfáticos no pescoço, manchas cor-de-rosa cutâneas, vermelhidão dos olhos, pele seca.

Devido à semelhança da rubéola com várias outras doenças, o diagnóstico preciso só pode ser obtido pelo exame sorológico.

Não existe tratamento específico para rubéola. Geralmente são utilizados analgésicos comuns para controlar as dores articulares e musculares, e antitérmicos para controlar a febre. É recomendável também fazer repouso durante o período crítico da doença.

A vacinação, que deve ser feita aos 15 meses de idade, é fundamental como medida preventiva. Adultos que ainda não tiveram contato com a doença também devem ser vacinados. Gestantes não podem ser vacinadas.
Sarampo
O sarampo é uma doença infecciosa, causada por um vírus chamado Morbilli. Homens e macacos são os únicos animais que abrigam naturalmente esse vírus.

Altamente contagiosa, o sarampo é uma das causas mais freqüentes de óbitos em crianças em muitas regiões, principalmente onde a vacinação em massa é insatisfatória.

É uma doença de transmissão respiratória que geralmente ocorre na infância. Adultos que nunca tiveram a doença ou não foram vacinados também podem ser afetados.

Os sintomas iniciais são: febre alta, tosse rouca, coriza, conjuntivite e hipersensibilidade à luz. Posteriormente surgem manchas brancas na mucosa da boca e manchas avermelhadas na pele que se iniciam no rosto e progridem em direção aos pés.

O tempo médio de incubação é de duas semanas. O sarampo é uma doença grave, em gestantes pode ocasionar aborto ou parto prematuro.

Algumas das complicações decorrentes do sarampo são: otite, pneumonia bacteriana, laringite, manifestações neurológicas raras.

O diagnóstico é realizado através de exames clínicos, e exame de sangue, quando há necessidade.

O tratamento consiste na diminuição dos sintomas. É recomendável fazer repouso, ingerir muito líquido, comer alimentos leves, limpar as pálpebras com água morna.

A melhor forma de prevenir a doença é a vacina, administrada em duas doses, a primeira aos 9 meses e a segunda aos 15 meses de vida. A vacina é eficaz em cerca de 90% dos casos. Adultos que não foram vacinados e não tiveram a doença também devem ser vacinados. Mulheres grávidas não devem vacinar.
Varíola
A varíola é uma doença infecto-contagiosa provocada pelo vírus Orthopoxvírus variolae, um dos maiores vírus que afeta o ser humano. Foi conhecido quando uma múmia de 1550-1307 a.C. apresentava vestígios do vírus. Ao entrar no organismo humano, o vírus se hospeda em uma determinada célula, onde fabrica suas proteínas e multiplica-se no citoplasma da mesma. O sistema imunitário do organismo reage contra o vírus destruindo as células antes que o vírus se multiple, porém o sistema imunitário não consegue bloquear completamente a multiplicação do vírus, pois a proteína que produz faz com que o mesmo fique resistente aos anticorpos.

A transmissão da doença ocorre através do contato com pessoas doentes e pelos objetos utilizados por essa mesma essoa. Após 14 dias de incubação a doença começa a se manifestar, os primeiros sintomas são: febre, mal-estar, fadiga, dores pelo corpo, manchas avermelhadas, vômitos e náuseas. As manchas avermelhadas que aparecem na pele se transformam em bolhas purulentas que após um período secam e formam crostas.

Como a doença fragiliza o sistema imunitário do indivíduo há grande possibilidade de, nesse período, contrair novas doenças e infecções. Como é uma doença provocada por vírus, não existem tratamentos específicos, sendo que a preocupação é voltada para as seqüelas que a doença pode deixar. A doença pode ser prevenida através da vacina que cria imunidade contra o vírus. Atualmente, a varíola é uma doença praticamente extinta já que há tempos não faz vítimas (1980), porém existe a preocupação de existirem armas químicas com o vírus.

Verrugas Genitais
O condiloma acuminado ou verruga genital, conhecida popularmente como crista de galo, é uma doença sexualmente transmissível, caracterizada pela formação de verrugas na região anal ou genital.

É ocasionado pelo papilomavírus humano (HPV). O vírus se espalha através do contato das lesões com áreas não atingidas, e transmitidas pelo contato direto com pessoas contaminadas. O contágio ocorre principalmente através da relação sexual, oral, vaginal e anal. Pode acontecer também por meio de roupas íntimas contaminadas, toalhas compartilhadas, sanitários públicos.

As lesões são róseas, esbranquiçadas, úmidas e com aspecto de “couve-flor”. O tamanho varia, podem ser pequenas, isoladas ou agrupadas, até lesões maiores. As verrugas são percebidas de um a seis meses após a pessoa ter sido infectada. Podem acontecer casos de infecção sem a manifestação de verrugas.

Os sintomas nas mulheres são verrugas secas, indolores, que podem crescer na vulva, no colo do útero, dentro da vagina ou em volta do ânus. Em homens as verrugas podem crescer na ponta ou no corpo do pênis e, algumas vezes, na uretra, no escroto ou na região do ânus.

A doença pode ser assintomática ou provocar irritação leve, coceira, dor, cheiro desagradável, dor durante o ato sexual, sensibilidade, aumento da secreção vaginal.

O diagnóstico em mulheres pode ser realizado através do exame Papanicolaou.

O tratamento consiste em vários métodos, como: remoção cirúrgica das verrugas; vaporização das verrugas com laser; queimadura das verrugas e outros. É fundamental que os dois parceiros sexuais recebam o tratamento para não correr o risco de reinfecção.

Assista aos vídeos do documentário da BBC: 
Por que os vírus matam? 
 (em 6 partes - legendado)


 


3 Responses So Far:

Gostou da postagem? Então, deixe o seu comentário e não esqueça de se identificar. Sua participação é muito importante para nós. Agradecemos a sua visita.
Equipe DHC.